Vale devolve direitos sobre terras indígenas no Brasil

A empresa disse que a decisão foi tomada porque reconheceu que a exploração nessas áreas dependia de consentimento prévio e regulamentação adequada, publicação irmã Mining News Brasil (NMB) relatado.

O NMB disse que a decisão veio em meio a um debate no Supremo Tribunal Federal do Brasil sobre a constitucionalidade da data limite de 5 de outubro de 1988 para as reivindicações de terras indígenas.

“O reconhecimento do FPIC [free, prior and informed consent] é fundamental atender aos direitos das populações indígenas de determinar seu próprio desenvolvimento e ao direito de exercer a autodeterminação diante das decisões que afetam seus territórios ”, afirmou a Vale em nota traduzida.

A mineradora disse que não realiza atualmente nenhuma pesquisa mineral ou atividades de mineração em terras indígenas no Brasil.

Ela devolveu 89 títulos em 2020 e agora devolveria os 15 restantes nas terras dos Xikrin do Cateté, no estado do Pará, informou o NMB.

A Vale teve um relacionamento fraturado com o povo Xikrin e foi condenada a pagar milhões em danos ambientais e de saúde em 2018 pelo impacto de suas operações de níquel em Onca Puma.

“[Vale] reitera seu respeito aos povos indígenas e sua total disposição para resolver essa polêmica com o Povo Xikrin de Cateté ”, afirma a empresa em seu site.

READ  Panamá cancela contrato com CNO do Brasil para construção de terminal aeroportuário

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe