Papagaios extintos voltam ao Brasil

A arara-azul voltou a viver livremente em seu Brasil natal, tendo sido extinta na natureza graças a um notável e pioneiro esforço internacional de conservação.

A situação do papagaio foi destaque no filme de animação de 2011 Rio, que contava a história de uma arara-azul engaiolada chamada Blue. O filme não foi apenas um sucesso de bilheteria, mas também deu o impulso para trazer o papagaio de volta à natureza.

Observe que os vídeos externos podem conter anúncios.

Em homenagem ao naturalista alemão Johann Baptist Ritter von Spix que coletou pela primeira vez um espécime em 1819, a situação do papagaio sul-americano começou quando sua terra natal no nordeste do Brasil foi destruída por sobrepastoreio e desmatamento.

Seu destino foi então selado pelo fato infeliz de que sua distinta plumagem azul provou ser irresistível para os colecionadores de pássaros do mundo todo, com o resultado de que, na virada do milênio, a arara-azul foi declarada extinta na natureza.

Cerca de duas dúzias de araras de Spix estavam sendo mantidas em coleções particulares em todo o mundo e essas aves engaioladas permitiram que um ambicioso programa de criação em cativeiro fosse iniciado.

Agora, oito araras-azul finalmente foram soltas com sucesso de volta à natureza no Brasil.

“Até agora, todas as aves soltas estão vivas, permanecendo juntas como um bando, voando e se alimentando na área de soltura”, diz Tom White, da Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA que é assessor técnico do projeto. “O programa está indo tão bem quanto poderia neste momento.”

Um dos aspectos mais desafiadores do projeto foi que a criação em cativeiro reduziu as habilidades instintivas de sobrevivência das aves.

READ  Russell domina o Grande Prêmio do Brasil Virtual com Haas vence o campeonato

Em 11 de junho de 2022, as primeiras oito araras-azul foram soltas na Caatinga brasileira. © Associação para a Conservação de Papagaios Ameaçados (ACTP)

Para remediar isso, o programa usou uma abordagem pioneira ao liberar oito araras selvagens junto com as araras-azul para atuar como treinadoras.

“Isso proporcionou às araras-azul ambientalmente ingênuas ‘mentores’ bem adaptados que poderiam mostrar a elas onde encontrar comida nativa e alertá-las sobre possíveis predadores”, explica White.

Esta é uma das primeiras vezes que uma estratégia de ‘bando de espécies mistas’ foi usada e seu sucesso significa que ela pode ser aplicada a outras reintroduções que enfrentam desafios semelhantes.

Todas as aves liberadas estão em idade reprodutiva e espera-se que comecem a se reproduzir no próximo ano.

Imagem principal: arara-azul (Cyanopsitta spixii) é uma espécie de papagaio que está extinta na natureza há mais de 20 anos. © Associação para a Conservação de Papagaios Ameaçados (ACTP)

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

N1SERGIPE.COM.BR PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
N1 Sergipe