O último adeus: quando Deco redescobriu e conquistou o Brasil aos 35

Quando Deco voltou à sua terra natal depois de 13 anos no exterior (e sete anos representando outro país), mostrou ao Brasil o que estava faltando.

Deco (nome completo Anderson Luis de Souza) nasceu em 1977 no estado de São Paulo, casa de Pelé, Zé Roberto e Neymar.

Aos 25 anos, no início de 2003, realizou um sonho ao jogar sua primeira partida internacional brasileira, entrando em campo aos 62 minutos cercado por lendas nacionais como Rivaldo, Ronaldinho, Adriano, Cafu e Roberto Carlos.

Aos 82 minutos, o cenário estava montado: com empate em 1 a 1, Deco recebeu a bola para cobrança de falta direta.

Apesar de estar longe do gol, o armador avistou uma lacuna na parede, venceu o goleiro e venceu dramaticamente a partida para seu time.

Havia apenas um obstáculo: seu time naquela noite era Portugal, não o Brasil.

A reação de Deco ao marcar contra seu país de origem será familiar para qualquer pessoa que já assistiu seu próprio time em um bar que é habitado por torcedores intimidantes da oposição.

Você joga os braços para cima em uma celebração instintiva – sinalize os sinos de alarme interno – mas se você rapidamente seguir com uma expressão abatida e aplausos moderados, você pode (quase) passá-lo como, “Jogo limpo para os oponentes; eles se deram bem lá, os desgraçados. “

Deco teria achado mais difícil evitar trair sua lealdade, já que obviamente tinha acabado de marcar um gol contra o Brasil e não podia fingir o contrário.

Mas, na verdade, se alguém ficou irritado com o meio-campista nascido no Brasil representando Portugal (por ter vivido e jogando no país europeu nos últimos seis anos), foram os fãs portugueses temendo uma perda de integridade, não os fãs brasileiros que criticaram a deserção de um jogador.

Luis Figo, canalizando as opiniões de muitos de seus compatriotas, disse a famosa frase: “Se você nasceu chinês, tem que jogar pela China”.

READ  IPCA-15 sobe 0,81% em novembro, maior que o esperado e maior valor para o mês desde 2015

Depois daquela estreia dramática, no entanto, a decisão foi final: Deco, embora continuasse sendo um brasileiro de coração, representaria sua casa adotiva em Portugal, e o faria de forma admirável pelos próximos sete anos.

Sonhando maracanã

Vamos pular a parte em que Deco conquistou títulos em Portugal, Espanha e Inglaterra, ganhou duas vezes a Liga dos Campeões e ficou em segundo lugar na Bola de Ouro de 2004.

Basta dizer que ele foi, no auge, um excelente jogador de futebol.

Feito isso, retomamos o assunto no verão de 2010, uma encruzilhada para Deco, que estava a aproximar-se do 33º aniversário e tinha feito recentemente o seu último jogo pela Seleção Portuguesa.

Apesar de seu brilho passageiro e de seus gols sensacionais pelo Chelsea, ele também parecia estar tentando se afastar da Inglaterra.

Seu desejo foi atendido, e a mudança um tanto surpreendente foi confirmada no dia 6 de agosto: Deco se juntaria ao gigante brasileiro Fluminense em um contrato de dois anos, com o Chelsea permitindo que ele encerrasse seu contrato um ano mais cedo.

• • • •

LEIA: Uma ode ao brilho fugaz e aos gols sensacionais de Deco no Chelsea

• • • •

Os motivos do meio-campista eram nada menos que admiráveis.

“Desde criança sonhei em jogar no Maracanã e no Brasil”, disse Deco ao assinar. “Saí daqui muito cedo e sempre tive vontade de voltar, de fazer um pouco do que fiz fora do país.”

Ele certamente não estava fazendo isso por dinheiro e admitiu que poderia ter ganhado “muito mais” ao fechar seu contrato com o Chelsea.

Ele estava fazendo isso pela glória? Provavelmente. O Fluminense não conquistava o Campeonato Brasileiro desde 1984, mas liderava a tabela na época em que Deco assinou, liderando por um único ponto com cerca de um terço da temporada disputada.

Foi uma grande oportunidade de sucesso imediato.

Ter sorte

Deco foi a cereja do bolo para o Fluminense, um acréscimo parcialmente decorativo que, no entanto, ajudou a equipe a construir seu ímpeto. (Na verdade, o clube já tinha um craque muito talentoso: o futuro gazilionário de 5’6 Dario Conca.)

READ  Jogadores do USWNT defendem o hino nacional antes da vitória sobre o Brasil

Mas o Brasileirão de 2010 foi direto ao ponto.

Após a penúltima rodada de jogos – em que Deco deu uma assistência (Do tipo) antes de se sair lesionado – houve apenas dois pontos entre as três primeiras seleções: Fluminense com 68, Corinthians com 67 e Cruzeiro com 66.

Então, no último dia, Deco assistiu enquanto sua nova equipe segurava os nervos para ganhar seu primeiro campeonato nacional em 26 anos, ganhando, um pouco tardiamente, seu primeiro troféu de prata em sua terra natal.

No ano seguinte, Deco sofreu alguns ferimentos, mas cresceu em influência, especialmente quando Dario Conca se mudou para a China. Apesar de o Fluminense ter lutado ao longo da campanha, tanto ele quanto Deco terminaram bem, subindo para o terceiro lugar na tabela e garantindo a classificação continental.

Mas foi só em 2012, aos 34 anos, que o Deco realmente se destacou no Brasil, enfrentando de frente todos os desafios singulares do país.

Essa foi a primeira temporada em que o meio-campista conseguiu disputar uma série de jogos no Campeonato Carioca, torneio cujo formato é muito complicado para ser discutido em um artigo de mil palavras, mas que tem como objetivo definir o melhor time do estado. Rio (os ‘quatro grandes’ sendo Fluminense, Flamengo, Vasco e Botafogo) à frente do campeonato nacional no final do ano.

Deco se destacou como o melhor jogador da competição, com destaque para um gol de longo alcance atrevido na final da Taca Guanabara (fase de abertura do torneio) contra o Vasco.

“Eu percebi isso [the goalkeeper] fui para a esquerda, pensando que cruzaria para o poste mais distante. Tentei atirar e tive sorte ”, disse ele, modestamente.

A vitória por 3 a 1 naquele jogo rendeu ao Fluminense uma vaga na final das finais em maio, na qual venceu com folga o Botafogo e sagrou-se campeão estadual. Com apenas metade da temporada passada, os prêmios estavam se acumulando para Deco.

READ  O talento da DPC League da América do Norte e do Sul foi confirmado

Arrecadação de troféus

Ele se formou no Campeonato Brasileiro. Na sua segunda participação na campanha, Deco fez uma exibição de homem-do-jogo frente à bem chamada Portuguesa, registando um hat-trick de assistências.

Como antes, ele perdeu alguns períodos da temporada por causa de uma lesão, mas em novembro de 2012, agora com 35 anos, ele comemorava a segunda vitória do Brasileirão em três temporadas.

Na verdade, Deco provavelmente deveria ter se aposentado nessa nota alta. Sua temporada de 2013 foi dizimada por lesões e uma acusação de doping – da qual ele foi posteriormente absolvido – e ele se aposentou no meio da campanha, um dia antes de completar 36 anos.

Mas três (e meio) troféus em três anos foi uma conquista fenomenal para um jogador idoso competindo em um ambiente que ele mal teria reconhecido em sua juventude.

“Houve muita pressão para que eu me tornasse cidadão português”, admitiu Deco mais tarde ao outlet brasileiro Lance. “As pessoas na rua me pediram para jogar pelo país.”

Com 75 internacionalizações, apesar de apenas ter feito a sua estreia aos 25, nada indica que Deco alguma vez se arrependeu de ter escolhido Portugal. Com o Fluminense, porém, ele coçou uma coceira perene para se provar em seu país de nascimento.

Além do mais, ele não precisava esconder suas comemorações.

Por Benedict O’Neill

Mais do Planet Football

A realização de O Fenômeno no Brasil: ‘Era como se viesse da lua’

Formiga: historiador do Brasil busca ouro na sétima Olimpíada

Consegues citar os 20 melhores goleadores portugueses da história da Premier League?

Uma ode ao brilho fugaz de Deco e aos gols sensacionais no Chelsea

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe