Ministério Público do Brasil pede que WhatsApp adie lançamento de nova ferramenta até janeiro

Um logotipo do Whatsapp impresso em 3D é colocado em uma placa-mãe de computador nesta ilustração tirada em 21 de janeiro de 2021. REUTERS/Dado Ruvic/Illustration/File Photo

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

BRASÍLIA, 29 de julho (Reuters) – Promotores brasileiros pediram nesta sexta-feira à plataforma de mensagens WhatsApp que adie o lançamento no Brasil de seu novo recurso chamado Comunidades até janeiro para evitar a disseminação de notícias falsas durante e imediatamente após a eleição do país em outubro.

Os procuradores federais disseram que o alcance ampliado da nova ferramenta ocorre “em um momento em que notícias falsas sobre o funcionamento das instituições e a integridade do sistema eleitoral brasileiro podem colocar em risco a estabilidade democrática do país”.

O MPF, como é conhecido o Ministério Público Federal, disse que Comunidades poderia prejudicar as medidas eficientes tomadas pelo WhatsApp nos últimos anos para conter a disseminação de notícias falsas.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

O WhatsApp é uma das plataformas de mensagens que os apoiadores do presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro mais usam para se comunicar, organizar comícios e divulgar suas opiniões. Bolsonaro busca a reeleição, mas está atrás do ex-presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva na eleição mais polarizada do Brasil em décadas.

O serviço de mensagens de propriedade da Meta Platforms concordou em abril em adiar o lançamento da nova plataforma até depois de uma votação esperada no segundo turno no final de outubro.

Mas o MPF disse em comunicado que isso não foi suficiente para mitigar os “graves riscos que um aumento da desinformação pode gerar… nos últimos dois meses do ano”.

READ  30 Melhor asus zenbook para você

Um porta-voz do WhatsApp disse que a empresa continuará avaliando cuidadosamente o melhor momento para lançar a nova plataforma e responderá devidamente ao pedido das autoridades.

O MPF disse que o WhatsApp está instalado em 99% dos smartphones no Brasil.

O novo recurso ampliaria o número de usuários dos atuais 256 para 512, permitindo o envio de mensagens para 2.560 pessoas de uma só vez. Isso aumentaria a capacidade dos usuários de viralizar o conteúdo, disse o MPF.

Os promotores observaram que a criptografia de ponta a ponta do WhatsApp impede que os responsáveis ​​pela plataforma monitorem e moderem o conteúdo das mensagens trocadas nela.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem de Anthony Boadle; Edição de David Holmes

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

N1SERGIPE.COM.BR PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
N1 Sergipe