IED na América Latina e Caribe caem para o nível mais baixo em 11 anos

KINGSTON, Jamaica – Em meio à grave crise de saúde, econômica e social provocada pela pandemia de COVID-19, a América Latina e o Caribe receberam US $ 105,48 bilhões em investimento estrangeiro direto (IED) em 2020 – 34,7% menos do que em 2019.

De acordo com a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), isso é 51 por cento menos do que o recorde alcançado em 2012, e também é o valor mais baixo desde 2010.

O órgão estava apresentando seu estudo anual intitulado “Investimento Estrangeiro Direto na América Latina e no Caribe 2021”.

Ele observou que, globalmente, o IED caiu 35 por cento em 2020 para aproximadamente US $ 1 trilhão de dólares, o que representa o valor mais baixo desde 2005.

A América Latina e o Caribe experimentam uma tendência de queda desde 2013, o que evidencia a relação entre fluxos de IED e ciclos de preços de commodities, principalmente na América do Sul, de acordo com relatório lançado em entrevista coletiva virtual realizada por Alicia Bárcena, regional das Nações Unidas secretário executivo da organização.

O contexto internacional sugere que os fluxos globais de IED vão se recuperar lentamente, disse o relatório ao alertar que a busca de ativos em setores estratégicos para a reativação internacional e para os planos públicos de transformação da estrutura produtiva (infraestrutura, saúde, economia digital ) indica que a maioria dessas operações se concentrará na Europa, América do Norte e alguns países da Ásia.

Na América Latina e no Caribe, os projetos de IED experimentaram uma recuperação entre setembro de 2020 e fevereiro de 2021, porém até maio de 2021 ocorreu uma nova queda no valor dos anúncios realizados.

“Nesse cenário, é difícil imaginar que os ingressos de IED na região aumentem mais de 5% em 2021”, afirma o relatório da CEPAL.

READ  30 Melhor Adeus As Armas para você

“O IED fez contribuições relevantes na América Latina e no Caribe, mas não há elementos que indiquem que na última década tenha contribuído para mudanças significativas na estrutura produtiva da região ou que tenha servido como um catalisador para transformar o modelo de desenvolvimento produtivo. Hoje, o desafio é maior pelas características e magnitude da crise. Precisamos canalizar o IED para atividades que gerem maior produtividade, inovação e tecnologia ”, disse Alicia Bárcena.

Agora você pode ler o Jamaica Observer ePaper a qualquer hora, em qualquer lugar. O Jamaica Observer ePaper está disponível para você em casa ou no trabalho e é a mesma edição da cópia impressa disponível em https://bit.ly/epaper-login

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe