Este jovem de 28 anos aprendeu a escalar montanhas em Alberta. Agora ele escalou quase 1.200 picos

Levou apenas quatro anos morando em Alberta para deixar Steven Song viciado em escalar montanhas.

Na última década, ele escalou quase 1.200 montanhas diferentes do Alasca à América do Sul. O graduado em engenharia química da Universidade de Alberta começou a escalar picos quando era adolescente, não muito depois de imigrar da China para o Canadá.

“Gosto das vistas”, disse ele.

O primeiro foi o Cirque Peak no Parque Nacional de Banff quando adolescente. Ele disse que a viagem foi cansativa e que, no final do dia, ele estava com grandes bolhas nos pés.

Apesar de tudo, ele era viciado.

Steven Song escalou montanhas do Alasca até a América do Sul. Ele disse que as viagens são mais bem compartilhadas com outras pessoas. (Enviado por Steven Song)

“Você olha para o mapa e há outros picos, então você faz outro, e outro”, disse Song no CBC Edmonton’s Radio Active.

Completando os picos no ano passado, Song é um dos mais jovens a escalar todos os 11.000, que são um grupo de 58 montanhas nas Montanhas Rochosas canadenses acima de 11.000 pés (3.353 metros).

“Acho que gosto de colecionar picos”, disse Song.

Song agora mora na área de Vancouver, trabalhando como tutor no ensino médio.

O companheiro de viagem de longa data e guia de caminhada Ben Nearingburg disse que há muito poucas – se alguma – pessoas na América do Norte que realizaram o que Song conseguiu em tão tenra idade.

“É preciso muita determinação e foco”, disse ele.

Ben Nearingburg (à esquerda) e Steven Song no Monte Fraser. (Liam Harrap / CBC)

Song e Nearingburg aprenderam a escalar montanhas juntos, por exemplo, como planejar uma rota, o que levar na mala e comer.

“No início, comeríamos tortas do McDonald’s porque elas não congelam em menos de 20. Elas ainda são gelatinosas e pegajosas”, disse Nearingburg.

Até aprender a usar mapas levava tempo.

“Íamos a um lugar que parecia grama suave no mapa, mas na verdade eram salgueiros que precisavam de facões”, disse Nearingburg com uma risada.

Pico de interesse

Uma viagem que se destacou foi escalar o capacete, disse Song.

A rota serpenteia por uma geleira quebrada entre cascatas de gelo e uma crista de ponta de faca, situada abaixo da face gelada do Monte Robson, o pico mais alto das Montanhas Rochosas canadenses.

“Normalmente você descobre que os picos menores perto dos picos maiores têm uma visão melhor”, disse Song.

Embora escalar montanhas seja emocionante, pode ser perigoso. Ao longo dos anos, alguns amigos de Song morreram em outras escaladas.

“Isso avisa você. Nada é perfeito. Você não é invencível.” ele disse.

Song disse que não corre os mesmos riscos de cinco anos atrás, quando queria continuar se esforçando. Agora ele prefere esperar por condições mais seguras e estáveis, fazendo escaladas com corda apenas algumas vezes por ano.

O Capacete, ao lado do Monte Robson, é um dos picos mais memoráveis ​​de Steven Song. (Enviado por Steven Song)

Também é raro Song escalar sozinho.

“Gosto de trabalhar com pessoas.”

Song disse que não espera parar de escalar tão cedo. Quando o COVID-19 diminuir, ele espera viajar para a Ásia e tentar um pico de 7.000 metros.

Para as pessoas que nunca escalaram uma montanha mas querem experimentar, Song disse para começar com uma viagem que tenha acesso rápido a um bom miradouro.

“Não vá por muito tempo. Você pode ficar com bolhas.”

READ  A governadora de São Paulo, Doria, quer se candidatar à presidência na votação de 2022 do Brasil

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe