COVID-19 No Brasil: “melhor prevenir do que remediar” – The European Sting – Critical News & Insights on European Politics, Economy, Foreign Affairs, Business & Technology

(Crédito: Unsplash)

Este artigo foi escrito exclusivamente para o The European Sting pela Sra. Mariane Catarina Tavares Salton e pela Sra. Gabriela Oliveira da Silva, duas alunas do segundo ano de medicina da Unicesumar, Maringá, Brasil. Eles são afiliados à Federação Internacional de Associações de Estudantes de Medicina (IFMSA), parceiro cordial do The Sting. As opiniões expressas nesta peça pertencem estritamente aos escritores e não refletem necessariamente a visão da IFMSA sobre o assunto, nem da The European Sting.


Apesar de 195.725 mil mortes e 7.716.045 milhões de casos em 20201, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, insiste em ignorar a situação crítica do país, contrariando o conhecimento científico. Os brasileiros, principalmente seus seguidores, são influenciados por seu discurso que defende medicamentos off-label, que não apresentam evidências sobre a eficácia no tratamento do coronavírus, e sua posição antivacinal. Ele já disse que a vacina pode transformar as pessoas em crocodilos. Além disso, o bloqueio foi desestimulado por ele, gerando conflitos com os governadores e prefeitos que adotaram essa estratégia.

A pandemia da Covid-19 aumentou a automedicação e os medicamentos prescritos off-label no país. Os “kit-covid”, que é composto por hidroxicloroquina ou cloroquina, azitromicina, ivermectina, nitazoxanida, suplementos de zinco e vitaminas C e D, foram incentivados até pelo Ministério da Saúde2. Isso reflete a falta de informação da população, além da influência indevida do governo e a divulgação de notícias falsas, que podem trazer riscos à saúde pública.

Desde 1973, o Brasil possui um Programa Nacional de Imunizações (PIN) com o objetivo de coordenar as ações de imunização. Hoje, esse programa faz parte do Sistema Único de Saúde (SUS) e foi responsável pela erradicação da varíola e da poliomielite e pelo controle de diversas doenças3. Embora exista este programa eficiente, a vacinação do COVID-19 no Brasil ocupa a terceira posição na América Latina, atrás do Chile e Uruguai4. Quase 5,06% dos brasileiros receberam duas doses da vacina CoronaVac ou Astrazeneca5.

READ  Faça uma viagem na Trilha Inca com o programa virtual da biblioteca de St. Charles

Embora o lockdown seja importante para reduzir a incidência de COVID-19 e mortalidade, o Brasil não teve um lockdown verdadeiro em nenhuma de suas regiões, pois poucos departamentos foram fechados. Como consequência, mesmo a primeira onda não foi controlada no Brasil.

Nesse sentido, as lições aprendidas do ano passado não foram implantadas no Brasil, de modo que a expressão “melhor prevenir do que remediar” não foi seguida. Com isso, no início de 2021, Manaus (AM) teve um aumento de casos e óbitos, associados à circulação da nova variante P1 no estado, marcando o início da segunda onda no país6. No momento, o sistema de saúde brasileiro está sobrecarregado, com aumento da ocupação em terapia intensiva e esgotamento dos profissionais de saúde, prejudicando a saúde mental e aumentando os casos de burnout.

Os cientistas estão prevendo a terceira onda no Brasil, se nada for feito para controlar a atual crise no país. Hoje, o Brasil é considerado mundialmente o epicentro da pandemia, ameaçando todo o esforço da comunidade internacional para controlar a pandemia e permitindo o surgimento de novas variantes4.

Referências

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Coronavirus Brasil [Internet]. 2021 [cited 2021 apr 21]. disponível a partir de https://covid.saude.gov.br/.
  2. Melo JRR, Duarte EC, Moraes MV, Fleck K, Arrais PSD. Automedicação e uso indiscriminado de medicamentos durante a pandemia de COVID-19. Cad Saúde Pública. 2021; 37 (4): e00053221.
  3. Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização – Apresentação [Internet]. [cited 2021 apr 21]. disponível a partir de http://pni.datasus.gov.br/apresentacao.asp.
  4. Horton J. Covid-19: Por que as mortes dispararam no Brasil? [Internet]. 2021 [cited 2021 apr 21]. BBC Notícias. disponível a partir de https://www.bbc.com/news/world-latin-america-56663217.
  5. G1 – São Paulo. Mapa de vacinação da Covid-19 no Brasil [Internet]. 2021 [cited 2021 apr 21]. G1. disponível a partir de https://especiais.g1.globo.com/bemestar/vacina/2021/mapa-brasil-vacina-covid/.
  6. Marquitti FMD, Coutinho RM, Ferreira LS, Borges ME, Portella TP, Silva RLP, et al. Carta à Comunidade Científica: Brasil enfrenta novas variantes do SARSCoV-2 [Internet]. 2021 [cited 2021 apr 21]. Scielo Preprints. Disponível em https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/2001/version/2120.
READ  Avni Yildrim x Canolo Alvarez Live on DAZN nos EUA, América do Sul e no resto do mundo

Sobre o autor

Mariane Catarina Tavares Salton, 22 anos, é médica do segundo ano da Unicesumar, Maringá, Brasil. É coordenadora local da IFMSA Brasil Unicesumar, e membro da Liga Acadêmica de Clínicas Médicas (LACMMA).

Gabriela Oliveira da Silva, 22 anos, é aluna do segundo ano de medicina da Unicesumar, Maringá, Brasil. Ela é coordenadora local e membro da equipe de atividades locais da IFMSA Brasil Unicesumar. É também vice-presidente da Liga Acadêmica de Clínica Médica de Maringá (LACMMA).

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe