Corpo de João Alberto, morto após espancamento em unidade do Carrefour, é velado em Porto Alegre | Rio Grande do Sul

O corpo de João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, espancado e morto em uma unidade do supermercado Carrefour, começou a ser observado na manhã de sábado (21) no Cemitério São João, na Zona Norte de Porto Alegre. O funeral está marcado para as 11h30.

João Alberto foi assassinado por dois seguranças no supermercado na noite de quinta-feira (19). Segundo a polícia, a vítima teria feito um gesto para um funcionário do mercado, o que a fez ligar para o segurança do local.

Beto, como era conhecido, foi acompanhado pelos dois homens até o estacionamento da unidade. Segundo a polícia, ele teria dado um soco em um dos seguranças no início dos ataques. A vítima foi espancada durante cerca de 5 minutos pelos dois homens.

Samu foi chamado, mas morreu na hora. Os dois homens foram presos em flagrante delito e devem enfrentar homicídio qualificado.

Cemitério onde João Alberto está velado em Porto Alegre – Foto: Tiago Guedes / RBS TV

Manifestos em frente ao supermercado

Alvo de manifestantes Na noite de sexta-feira (20), o Carrefour do Passo D’Areia apresenta marcas de destruição horas após o protesto que terminou em confronto com a polícia.

Na madrugada deste sábado, pedaços de concreto foram espalhados pelo pátio, totens com marcas de fogo e grafite contra os seguranças que causaram a morte de João Alberto Freitas.

Cercas e portões foram arrancados. Ao lado das escadas rolantes, janelas foram quebradas e lojas de empresas que alugam os espaços também foram alvo de vândalos.

O calçadão em frente à avenida que dá acesso ao mercado também possui marcas de protesto. Frases como “racistas, assassinos e justiça para Beto” estão expostas em cartazes de papelão ou grafite no chão e nas paredes do estabelecimento.

João Alberto Silveira Freitas, 40, foi espancado e morto por dois brancos em Porto Alegre. – Foto: Reprodução / Redes Sociais

‘Ele perguntou: Milena, me ajude’

Milena Borges Alves, 43 anos, A esposa de João Alberto disse que tentou ajudar o marido enquanto ele apanhava, mas foi impedida pelos seguranças. A afirmação foi dada em entrevista à Rádio Gaúcha, na manhã desta sexta-feira (20).

“Eu estava pagando no caixa, aí ele desceu na minha frente. Quando cheguei lá, ele já estava imobilizado. Pediu: ‘Milena, me ajude’. Quando eu fui, os seguranças me empurraram”, ela disse.

João Alberto deixa quatro filhos – um do primeiro casamento e três do segundo. Com Milena, que morou com ele por cerca de 9 anos, ele só teve uma enteada.

A família mora a cerca de 600 metros do supermercado.

‘Agressão covarde’ diz o pai

Pai de João Alberto Silveira de Freitas, João Batista Rodrigues Freitas disse a G1 que esteve na cena do crime logo após os ataques, avisado por familiares.

“Não sei como começou a confusão, o que está registrado é que muita gente registrou uma agressão covarde onde três pessoas começaram a bater no meu filho até ele morrer. A mulher dele estava com ele, tentou tirar o cara que estava enforcado ele com o joelho apoiado no chão e o outro segurança empurrado ”, ressalta.

No estacionamento do mercado, o pai relata que perguntou quem havia agredido João Alberto. “Eles me apontaram. Ele estava no carro”, relata João, que não sabe com qual dos seguranças falou ou quem apontou o veículo.

“Eu perguntei ao segurança que foi atacado: ‘Foi roubo? Ele tocou em alguma coisa?’. ‘Não’, ele disse. Ele apenas levou o soco. E então o lugar que ele mostrou que recebeu o soco não tinha marca de anel. Ele não estava com o olho roxo ”, disse João Batista.

MORTE DO HOMEM NEGRO NO SUPERMERCADO DE PORTO ALEGRE

READ  Georgieva, do FMI, defende a linguagem climática do Brasil após petição da equipe

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

N1SERGIPE.COM.BR PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
N1 Sergipe