Copa América: Colômbia não será mais co-anfitriã do torneio, CONMEBOL rejeita pedido de adiamento

O torneio, atrasado por um ano em meio à pandemia Covid-19, deveria ser realizado em conjunto pela primeira vez em seus 105 anos de história, com partidas divididas entre Colômbia e Argentina.

A declaração da CONMEBOL não deu uma explicação para a mudança e não fez referência aos distúrbios civis em curso na Colômbia.

Os protestos em grande escala no país estão agora em sua terceira semana.

Pelo menos 42 pessoas morreram nos protestos, segundo a Ouvidoria da Colômbia. Grupos de direitos humanos dizem que o número de mortos pode ser maior.

O torneio, que contará com 10 nações sul-americanas, deveria começar em Buenos Aires no dia 13 de junho e culminar com a final na cidade colombiana de Barranquilla no dia 11 de julho.

“A CONMEBOL garante a realização da Copa América 2021 e informará nos próximos dias a realocação das partidas que seriam disputadas na Colômbia”, afirmou o comunicado da entidade.

O formato de co-hospedagem teria visto a Colômbia hospedar um Grupo do Norte com Colômbia, Equador, Brasil, Peru e Venezuela, com a Argentina hospedando um Grupo do Sul com Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai.

A CONMEBOL anunciou no mesmo comunicado que rejeitou um apelo do governo colombiano para adiar o torneio para o final do ano.

“Por motivos relacionados ao calendário internacional de competições e à logística do torneio, é impossível transferir a Copa América 2021 para o mês de novembro”, acrescentou o comunicado.

As notícias de quinta-feira também chegam com a Argentina se preparando para entrar em outro bloqueio da Covid-19, à medida que os casos aumentam no país.

O presidente da Argentina, Alberto Fernandez, anunciou em uma declaração em vídeo na quinta-feira que escolas e estabelecimentos comerciais, sociais, esportivos e religiosos estarão fechados até 30 de maio.

READ  Michael Vinicius: Ex-Asante Kotoko ace Bekoe dá dicas de atacante brasileiro para iluminar a Premier League de Gana

Na quinta-feira, a Argentina registrou 35.884 novos casos de Covid-19 e 435 novas mortes, de acordo com o Ministério da Saúde argentino. A média de casos em sete dias atingiu 29.277, a maior desde o início da pandemia.

Gerardo Lemos e Abel Alvarado da CNNE em Atlanta e Philip Wang da CNN em Atlanta contribuíram para a reportagem.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe