PERTO

Reprodução automática

Mostrar miniaturas

Mostrar legendas

SÃO PAULO, Brasil (AP) – O Brasil sediará a Copa América pela segunda vez consecutiva depois que Colômbia e Argentina perderam os direitos de sediar o torneio, o que levou especialistas em saúde e políticos locais a criticar a decisão de realizar o conturbado evento em um dos países mais atingidos pela pandemia COVID-19.

Alejandro Domínguez, presidente da associação sul-americana de futebol CONMEBOL, anunciou a mudança na segunda-feira horas depois que a Argentina foi descartada em meio a um aumento nos casos de COVID-19 no país. A Colômbia foi removida como co-anfitriã em 20 de maio, enquanto protestos de rua contra o presidente Iván Duque abalavam o país.

A CONMEBOL acrescentou que o torneio está confirmado para acontecer entre os dias 13 de junho e 10 de julho. O Brasil é o atual campeão, vencendo a competição em 2019 como anfitrião.

“As cidades-sede e os jogos serão confirmados pela CONMEBOL em poucas horas. O torneio internacional mais antigo do mundo vai fazer todo o continente torcer! ” disse o órgão sul-americano. “A CONMEBOL agradece ao Presidente (Brasil) Jair Bolsonaro e sua equipe, e também à Confederação Brasileira de Futebol, por abrirem as portas deste país para o evento esportivo mais seguro do mundo hoje. A América do Sul vai brilhar no Brasil com todas as suas estrelas. ”

A confederação brasileira de futebol não respondeu a um pedido de comentário da Associated Press. Também cancelou as coletivas de imprensa da seleção, marcadas para a segunda-feira, no campo de treinos da Granja Comary, fora do Rio de Janeiro.

READ  30 Melhor Luminaria De Mesa para você

Dominguez também agradeceu ao presidente brasileiro, que desafiou as restrições ao distanciamento social e pediu um retorno à vida normal, apesar de um lançamento lento de vacinas.

“O governo brasileiro mostrou agilidade e capacidade de decisão em um momento fundamental para o futebol sul-americano”, disse Domínguez. Ele acrescentou que o Brasil “vive um momento de estabilidade, tem uma infraestrutura comprovada e acumulou experiência recente para organizar um torneio dessa magnitude”.

LIGA DOS CAMPEÕES UEFA: Chelsea vence pela segunda vez em sua história, derrota o Manchester City

VEJA: O momento incrivelmente lindo quando Christian Pulisic percebeu que venceu a Liga dos Campeões

FOTOS: Imagens incríveis da vitória do Chelsea na Champions League

No sábado, milhares de brasileiros saíram às ruas para protestar contra o Bolsonaro, e muitos observadores disseram que o mesmo poderia acontecer durante a Copa América. O Brasil teve enormes protestos de rua durante a Copa das Confederações de 2013 que sediou.

Mais de 460.000 pessoas morreram de COVID-19 no Brasil, número que perde apenas para os Estados Unidos. Muitos analistas esperam que outra onda da doença atinja o país no final de junho. Muitos hospitais têm mais de 80% de suas unidades de terapia intensiva ocupadas por vítimas do vírus.

Os cientistas expressaram sua preocupação com a decisão de sediar o torneio em um país onde uma variante mais transmissível do vírus é dominante. Até agora, as autoridades locais do Brasil não sancionaram a presença de torcedores nos estádios, algo que Bolsonaro favorece.

READ  Com empate sem gols, Goiás sai da lanterna e Grêmio está de fora do G4 - 12/12/2020

Em declarações a jornalistas na capital Brasília, o vice-presidente Hamilton Mourão disse que jogar em estádios vazios tornaria o torneio menos arriscado.

“Não haverá atendimento, certo? Se não houver atendimento, não há problema ”, disse Mourão. “Basta dividir bem as cidades-sede e pronto.”

No entanto, alguns governadores de estado se opuseram a ter jogos em seus estados, incluindo Pernambuco e Rio Grande do Norte, dois dos anfitriões da Copa do Mundo de 2014.

Miguel Nicolelis, um importante neurocientista brasileiro, expressou sua oposição ao torneio que acontece no país no Twitter.

“Alguém pode entrar com uma liminar no Supremo Tribunal Federal para impedir outro ataque ao povo brasileiro? A Copa América acontecerá no momento em que atingirmos 500.000 mortos pelo COVID. Não precisamos de mais circo, precisamos de vacinas e de um governo ”, escreveu Nicolelis.

O deputado Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde, disse que o Partido dos Trabalhadores, de esquerda, entraria com tal liminar. Outros legisladores também prometeram seguir o exemplo nos tribunais locais.

A Dra. Denise Garrett, do Sabin Vaccine Institute, uma organização sem fins lucrativos que defende a melhoria do acesso às vacinas, disse à AP que também se opõe à competição que ocorre no país.

“Isso traz o risco de maior transmissão do vírus no país por conta dos ajuntamentos, maior circulação de pessoas, mais interações”, disse ela. “E o Brasil também corre o risco de introduzir novas variantes que podem vir com jogadores e trabalhadores de outros países.”

Seleções sul-americanas já treinam para o torneio, enquanto duas rodadas das eliminatórias da Copa do Mundo começam esta semana.

Como outros torneios continentais, a Copa América foi inicialmente agendada para 2020, mas a pandemia COVID-19 forçou seu adiamento.

READ  30 Melhor Mandalas Para Colorir para você

A versão 2020 da Copa América foi apresentar um novo formato com cinco times baseados em cada um dos co-anfitriões, Colômbia e Argentina. O Grupo A inclui Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, enquanto o Grupo B inclui Brasil, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela. As quatro melhores equipes de cada grupo avançariam para a fase de mata-mata, e a final foi originalmente marcada para ser disputada em Barranquilla, da Colômbia.

Teria sido a primeira Copa América sediada por dois países.

O Catar, sede da Copa do Mundo de 2022, e a Austrália, que participariam como convidados, decidiram em fevereiro retirar-se devido à pandemia do coronavírus.

Reprodução automática

Mostrar miniaturas

Mostrar legendas