Brasil, desta vez não negligencie Argentina e México na LATAM SI — SiegeGG

Não é nenhum mistério que todo o Brasil, México e Argentina amam o futebol. O destaque do futebol sul-americano em 2021 provavelmente foi a Argentina roubando a cena no Maracaná, no Brasil, como o albiceleste derrotou o verdeamarelha por 1-0 com um gol de Ángel “El Fideo” Di María.

A Argentina vencendo a Copa América no Maracaná pode ser comparada à vitória da G2 Esports contra o FaZe Clan no Rio de Janeiro nas finais da 8ª temporada da Pro League. Infelizmente, em Siege, não temos um equivalente Argentina-Brasil, pois o Brasil é o proprietário e senhor da LATAM, apesar da região ter um dos mais ricos ecossistemas de esports de Siege do mundo.

No entanto, as Eliminatórias Fechadas da LATAM SI 2022 deste fim de semana podem ser nossa primeira Copa América. Uma lista mexicana ou argentina pode chegar ao mundo exterior, jogando em um estágio internacional de cerco. É razoável pensar que isso é possível, ou os fãs estão esperando demais?

Esta não é uma Copa Elite Six

Ao longo do ano, assistimos a três edições da Copa Elite Six, com o Brasil dominando cada uma delas. Na verdade, nenhum elenco mexicano ou argentino jogou em uma CES Grand Final.

Mas vamos ser honestos, com a forma atual do Brasil, poderíamos colocar times da Europa, APAC e América do Norte, e o resultado seria o mesmo. Crescer na melhor região do mundo tem suas vantagens – e desvantagens – e ter que enfrentar os campeões Major e Six Invitational é difícil, para dizer o mínimo.

Portanto, não vamos ler os resultados com a mentalidade de “Argentina e México ainda estão a superar as listas brasileiras”, mas lê-los em termos de progressão.

De fato, com todos os Team oNe, FURIA Esports, Team Liquid, FaZe Clan e Ninjas in Pyjamas já qualificados para o SI 2022, caberá à MIBR e aos Black Dragons defender o orgulho do Brasil. Olhando para as temporadas de ambas as listas, rapidamente chegamos à conclusão de que elas estão muito atrás da lista anterior de equipes.

Matheus “budega” Figueiredo no Six Invitational 2021 (Foto: Ubisoft/Kiril B.)

Apesar do resultado da SI 2021, a MIBR sofreu muito com problemas médicos este ano, situação que possivelmente piorou com a saída do técnico Matheus “budega” Figueiredo da equipe em dezembro. Enquanto isso, os Black Dragons foram forçados a fazer várias mudanças em sua lista ao longo do ano, com Pablo “resetz” Oliveira trocando pela Team Liquid pouco antes do estágio 3.

Neste fim de semana, nenhum campeão internacional defenderá o Brasil. Desta vez, apenas os elencos que ainda precisam provar algo se enfrentarão.

A Corrida Espacial Mexicana em Rainbow Six Siege

Após as contratações de Daniel “Novys” Novy e Lucca “MKing” Cosser, e mais tarde Victor “Bersa” Hugo, esta foi uma temporada promissora para o cerco mexicano. Os brasileiros trouxeram experiência e habilidade, enquanto o México trouxe talento e juventude. Um projeto muito emocionante para esperar.

As equipes vinham trabalhando duro, como em todas as outras regiões. O objetivo estava traçado, alcançar competições internacionais. No entanto, a sorte não estava do lado deles, com problemas escondidos sob as pedras. Problemas em termos de mentalidade, caráter, complicações internas e até problemas de viagem.

Emilio “Geometrics” Cuevas levou a bandeira mexicana ao palco do Six Invitational 2020.

A Atheris Esports vai competir com o seu treinador Fran “Royz” Guillen no time titular, já que Luís “Guicho” Gómez não era elegível para voar. Enquanto isso, a Fenix ​​Esports teve seus próprios problemas, já que a saída chocante de Arturo “XigmaZ” Vizcarra foi seguida pela saída de Eduardo “Luxor” Ortíz.

O personagem mexicano parece ser mais fechado, até egocêntrico. Cada um procura o seu, todos querem ser os primeiros a chegar à lua. É uma questão de honra, é mais importante quem levanta a bandeira mexicana na foto do que realmente levantá-la.

O México parece ser como seus vizinhos americanos, estagnados. Os resultados não foram os esperados, e esta qualificatória será a última dança para alguns deles.

O rápido crescimento da Argentina no cenário R6

A Argentina fez tudo certo este ano. A progressão foi lá, pois as equipes foram melhorando aos poucos até o ponto em que começaram a incomodar os grandes nomes da região.

O campeonato sul-americano foi dominado nesta temporada por Malvinas Gaming e 9z Team, já que ambos os elencos competiram em todas as edições da Copa Elite Six disputadas em 2021. No entanto, a primeira aparição dos argentinos contra o mundo exterior foi para esquecer, pois eles só ganhou uma quantidade combinada de 13 rodadas – de 69 jogadas.

Ambos com zero vitórias e quatro derrotas, Malvinas e 9z Team foram colocados em evidência. A América do Sul ainda não estava pronta.

O estágio 2 teve uma ligeira melhoria, com a Malvinas Gaming derrotando a Atheris Esports e a 9z Team trazendo os eventuais campeões do Major do México, Team oNe, para a prorrogação.

No entanto, nada pode ser comparado com a Fase 3. A Argentina não apenas derrotou as duas listas mexicanas (Malvinas 7-3 Atheris, 9z Team 7-4 Fenix ​​Esports), mas também colocou o Brasil em sérios apuros, com Malvinas Gaming liderando o ataque forçando horas extras contra FURIA Esports e Team Liquid.

A Copa Elite Six Stage 3 viu como um novo prodígio nasceu, com Richard “blk” Rodríguez liderando a classificação com uma classificação SiegeGG de 1,31 apenas algumas semanas após sua estreia profissional. O fragger paraguaio terminou com 14 mortes de entrada e 79 mortes em apenas seis partidas, pois foi fundamental para levar a Malvinas Gaming ao quinto lugar.

As listas argentinas estão aprendendo suas lições. Eles foram se adaptando e trabalharam ao lado de jovens treinadores e analistas brasileiros do T2, preparando estratégias que pudessem neutralizar as jogadas brasileiras.

Malvinas Gaming na final sul-americana (Foto: R6 Sports Latam)

Ao lado de Malvinas, a Furious Gaming está pronta para provar que o sistema LATAM está errado. Devido aos resultados da Fase 1, a Furious Gaming nunca foi um candidato realista para competir em nenhuma Copa Elite Six. Agora, depois de uma progressão incrível, e com um time onde cada jogador entende como desempenhar seu papel, o elenco se sagrou campeão sul-americano sobre as Malvinas, e derrotou o 9z Team nas Eliminatórias Abertas.

Além disso, as equipes argentinas finalmente poderão voar para o Brasil. Puro e simples, esta será a primeira vez na história do Siege onde brasileiros, argentinos e mexicanos poderão se enfrentar em uma verdadeira Copa América de Siege.

Brasil ainda é favorito para conquistar vaga no SI

Mas a verdade é que o Brasil ainda é o favorito para ocupar a vaga do SI. Sim, a progressão das equipes tem sido excelente, quase excelente. Existem algumas complicações, isso é certo. A principal delas reside no formato do torneio, pois para chegar ao Invitational, as equipes devem vencer uma BO3 e uma BO5.

O único país da LATAM a vencer o Brasil em um jogo de BO3 foi a Estral Esports quando derrotou a INTZ no LATAM SI 2021 Closed Qualifier. Eventualmente, os mexicanos seriam derrotados pela FURIA Esports.

Essa é a maior complicação. Isso e o fato de que os brasileiros sempre serão os favoritos até o dia em que um elenco mexicano ou sul-americano cale o Maracaná.

Mas isso já aconteceu. Então, por que não em Siege?

READ  Brasil convoca o atacante Richarlison para a seleção olímpica de futebol

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe