Brasil afrouxa a Venezuela afetada pelo COVID com a abertura da polêmica Copa América

O anfitrião do último minuto, o Brasil, afastou uma Venezuela infligida pelo COVID-19 para dar início à defesa do título da Copa América em Brasília.

Os atuais campeões registraram uma vitória por 3 a 0 no confronto do Grupo B sobre um time dizimado por testes positivos para o coronavírus na véspera do torneio, que o Brasil escalou para encenar apesar do clamor público e das preocupações do COVID-19.

A Colômbia também começou com uma vitória ao derrotar o Equador por 1 a 0, graças ao gol de Edwin Cardona em uma cobrança de falta habilmente trabalhada na outra partida realizada no dia de abertura do evento.

O zagueiro do Paris Saint-Germain, Marquinhos, abriu o placar para o Brasil no Estádio Nacional Mané Garrincha, após empatar para casa aos 23 minutos, antes de seu companheiro de equipe, Neymar, converter um pênalti logo após a marca de uma hora.

Neymar se tornou o provedor do terceiro gol do Brasil ao contornar o goleiro antes de marcar para o substituto Gabriel Barbosa fazer um gol vazio nos estágios finais.

A Venezuela foi forçada a colocar um time improvisado depois que oito jogadores e quatro treinadores retornaram testes COVID-19 positivos.

A Colômbia venceu o Equador na outra partida do Grupo B © Getty Images
A Colômbia venceu o Equador na outra partida do Grupo B © Getty Images

A notícia dos casos de COVID-19 da Venezuela ocorreu após a confirmação de que três jogadores bolivianos e um membro da equipe técnica da equipe tinham resultado positivo para coronavírus.

A Bolívia enfrenta o Paraguai na primeira partida do Grupo A, na Arena Pantanal, em Cuiabá, amanhã.

O Brasil foi liberado para sediar o torneio após receber a aprovação do Supremo Tribunal Federal do país na sexta-feira (11 de junho).

A preparação para o evento atrasado, adiado do ano passado devido à crise global de saúde, havia sido dominado por questões externas, uma vez que havia sido programado para acontecer na Argentina e na Colômbia antes de ser transferido para o Brasil, apesar de o país ser entre os mais atingidos pela pandemia COVID-19 no mundo.

READ  Por fim, a ciência do clima pode ser capaz de prever melhor o clima tropical do Atlântico

A Confederação Sul-Americana de Futebol retirou no mês passado o plugue da Argentina, onde ocorreram mais de quatro milhões de casos de coronavírus e mais de 84.000 mortes.

A CONMEBOL já havia despojado os direitos de co-hospedagem da Colômbia devido a violentos protestos contra o governo.

O Brasil registrou mais de 484.000 mortes por COVID-19 e há temores de que outra onda possa mergulhar o país em uma nova crise.

Uma pesquisa conduzida pela XP / Ipespe descobriu que 64 por cento dos entrevistados são contra o Brasil, que hospeda a competição de 10 equipes, com menos de um terço – 29 por cento – a favor.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe