Autoridades de saúde pleiteiam doações de vacinas para a América Latina e o Caribe.

Funcionários da Organização Mundial de Saúde na quarta-feira pediram aos países com excedente de vacinas Covid-19 que acelerem as doações de doses para nações latino-americanas e caribenhas, onde a imunização está avançando lentamente.

“Embora todos os países em nossa região tenham começado a administrar vacinas Covid-19, as imunizações estão seguindo as linhas de falha da desigualdade que há muito dividem nossa região”, Dra. Carissa F. Etienne, diretora da Organização Pan-Americana da Saúde, uma divisão da a OMS, disse em entrevista coletiva.

Apenas uma em cada quatro pessoas na América Latina e no Caribe foi totalmente imunizada contra a Covid-19, “e para muitas, as vacinas ainda faltam meses”, acrescentou o Dr. Etienne.

As divisões dentro da região são gritantes. O Chile e o Uruguai conseguiram vacinar totalmente mais de 60% de suas populações, enquanto mais de um terço dos países da região ainda não chegaram a 20%.

“As taxas de vacinação permanecem entre os adolescentes em vários países do Caribe e da América do Sul e a cobertura ainda é de um dígito em países da América Central como Guatemala, Honduras e Nicarágua”, disse o Dr. Etienne, referindo-se às porcentagens de pessoas vacinadas. Os números são especialmente baixos em países com sistemas de saúde particularmente frágeis, como Haiti e Venezuela.

As infecções em geral estão diminuindo na maior parte da América do Sul, enquanto aumentam em grande parte do Caribe e em vários países da América Central, incluindo Costa Rica e Belize.

A América Latina e o Caribe receberam doações de cerca de 43,3 milhões de doses de vacinas Covid-19 até meados de agosto por meio de acordos bilaterais e do programa Covax apoiado pelas Nações Unidas, de acordo com estimativas da agência.

READ  Santos Árbitro x Boca Jrs. é acusado de racismo por brasileiro - 01/07/2021

A Organização Pan-Americana da Saúde está iniciando um programa para impulsionar a produção regional das chamadas vacinas de RNA mensageiro – do mesmo tipo das vacinas Pfizer-BioNTech e Moderna – mas esse esforço não proporcionará doses em curto prazo.

São necessárias 540 milhões de doses adicionais para garantir que todos os países das Américas possam inocular totalmente 60% da população.

As autoridades lamentaram o fato de que a administração de doses de reforço está sendo discutida em alguns países, enquanto em outros as pessoas estão desesperadas para receber a primeira dose.

“Este não é apenas um problema ético e moral, é também um problema de saúde pública”, disse o Dr. Jarbas Barbosa, diretor-assistente da agência pan-americana. A melhor maneira de controlar a transmissão e prevenir o surgimento de outras variantes é aumentar a vacinação em todos os lugares, disse o Dr. Barbosa.

Embora a variante Delta, altamente contagiosa, continue a se espalhar rapidamente em grande parte do mundo, a América Latina e o Caribe foram amplamente poupados pela variante – e os especialistas não sabem ao certo por quê.

“Não é fácil de explicar”, disse Jairo Méndez Rico, consultor regional da agência para doenças virais. “Talvez algum tipo de proteção cruzada por causa da circulação anterior de muitas outras variantes” poderia estar ajudando a atrasar a disseminação da comunidade de Delta, ele sugeriu, acrescentando: “É cedo para dizer o que está acontecendo”.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe