As preocupações aumentam com o início da temporada de incêndios florestais no Brasil

A contínua falta de chuvas em partes do Brasil preocupa autoridades e especialistas de que os incêndios florestais voltem a ser um problema este ano.

No Brasil, a temporada de incêndios florestais está chegando. A agência espacial do governo usa satélites para observar incêndios. Ele relatou recentemente que mais áreas foram queimadas em julho deste ano do que em qualquer julho desde 2016.

A maioria dos incêndios brasileiros é causada por humanos. Freqüentemente, são iniciados por empresas ou pessoas que reivindicam terras como suas. Eles queimam e derrubam árvores para levantar gado ou cultivar safras.

Os registros históricos mostram que os incêndios geralmente começam a aumentar em junho e atingem seus maiores números em setembro. Os incêndios podem facilmente ficar fora de controle durante a estação seca, queimando grandes áreas de floresta.

Perda de floresta é uma preocupação

O Brasil abriga a Amazônia, a maior floresta tropical do mundo. É também o lar de áreas úmidas conhecidas como Pantanal, também a maior área úmida do mundo. Ambos tiveram muitos incêndios em 2019 e 2020 que causaram a maior perda de floresta em anos. Isso levou a críticas à administração do presidente Jair Bolsonaro. Ele tem apelado repetidamente para o desenvolvimento da Amazônia.

Este ano, o cerrado savana está tendo mais incêndios do que o normal. A pastagem se estende pela parte central e oeste do Brasil. Uma grande área foi queimada ali nos primeiros sete meses do ano.

Ane Alencar é diretora científica do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia. Durante uma reunião online em 27 de julho, ela disse que houve menos incêndios na Amazônia este ano por causa do clima frio. Mas ela tem medo do que vai acontecer quando o tempo mudar. “Não tenho certeza de que as pessoas que derrubam a floresta não vão acendê-la”, disse ela.

READ  Apple multada no Brasil por remover carregadores da caixa do iPhone12

O Brasil também vive sua seca mais severa em 90 anos. Autoridades anunciaram no dia 22 de julho que um grande grupo de especialistas estudará incêndios na Amazônia, Pantanal e Cerrado e como evitá-los. O grupo inclui cerca de 6.000 policiais federais e estaduais, bombeiros, segurança pública estadual e autoridades ambientais.

Em 29 de junho, Bolsonaro ordenou a redistribuição de soldados para a Amazônia para combater incêndios e desmatamento. Ele também emitiu uma proibição de 120 dias sobre não autorizado fogos ao ar livre.

ARQUIVO – Membro da brigada de incêndio do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​(IBAMA) tenta controlar um incêndio em uma área da selva amazônica em Apuí, Estado do Amazonas, Brasil, 11 de agosto de 2020. (REUTERS / Ueslei Marcelino)

Medidas semelhantes em anos anteriores não impediram incêndios ilegais. Mais de 90 por cento dos pontos quentes do Pantanal encontrados em 2020 vieram após uma proibição presidencial semelhante. A informação é de Vinícius Silgueiro, especialista do Instituto Centro da Vida de Mato Grosso. “O sentido de impunidade é muito alto. A fiscalização está bem abaixo do necessário ”, disse Silgueiro.

Mauren Lazzaretti é secretário de Meio Ambiente de Mato Grosso. Ela disse que os governos federal e estadual no ano passado começaram a trabalhar juntos para garantir que nenhuma área ficasse em risco.

O estado também está comprando um helicóptero e planeja lançar aviões para lançar produtos químicos de combate a incêndio. Agricultores e empresários do Pantanal vão emprestar os aviões.

No ano passado, mais de quatro milhões de hectares do Pantanal foram queimados. Isso é cerca de 27% da área e a maior desde o início dos registros oficiais em 2003. Embora o Pantanal cresça rapidamente, os incêndios costumam matar a vida selvagem local, como onças e jacarés.

O tamanho dos incêndios no ano passado chamou a atenção para a ideia de responsabilidade individual, disse Lazzaretti. Há mais envolvimento este ano de cidades, agricultores e comunidades nativas, acrescentou ela.

No ano anterior, incêndios na Amazônia levaram vários governos europeus a criticar abertamente o governo de Bolsonaro. Bolsonaro reagiu dizendo que os incêndios foram quase iguais à média de vários anos e caíram drasticamente em relação aos 15 anos anteriores.

Diminuição do armazenamento de carbono

A vida vegetal na floresta amazônica retira cerca de 2 bilhões de toneladas de dióxido de carbono da atmosfera terrestre a cada ano. Estima-se que a atividade humana em todo o mundo produza 40 bilhões de toneladas anuais.

Isso torna a Amazônia uma parte importante do esforço mundial para combater as mudanças climáticas. Mas um estudo liderado por um ministério brasileiro e publicado em julho descobriu outra coisa. Ele descobriu que a floresta amazônica do sudeste, fortemente afetada por exploração madeireira, tem liberado mais carbono do que armazenado.

Paulo Artaxo é professor de física ambiental da Universidade de São Paulo no Brasil. Ele também é membro do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas. Artaxo disse que outros estudos recentes mostraram que as áreas da Amazônia ocidental agora estão neutro em carbono. Alguns anos atrás, os cientistas disseram que era um lugar que armazenava carbono.

Carlos Nobre é um cientista do clima. Ele disse que a floresta densa do Brasil deixará de ser úmida o suficiente para permanecer em sua forma atual. Vai começar a se tornar um pasto.

Nobre disse que o governo de Bolsonaro ainda não fez o suficiente para salvar a floresta tropical.

Ele disse que o governo federal continua a não fazer nada contra a extração ilegal de madeira, desmatamento e queimadas na Amazônia. Ele acrescentou que aqueles que cometem os crimes “continuam a se sentir bastante fortalecidos”.

Sou Alice Bryant. E eu sou Anna Mateo.

A Associated Press relatou essa história. Alice Bryant o adaptou para Aprender Inglês. Mario Ritter, Jr. foi o editor.

_________________________________________________

Palavras nesta história

gado –N. animais de fazenda, incluindo vacas, touros e novilhos

savana –N. uma grande área plana de grama com muito poucas árvores, principalmente na África e na América do Sul

não autorizado –Adj. feito sem permissão oficial ou legal

impunidade –N. liberdade de punição, dano ou perda

exploração madeireira –N. cortando árvores para obter madeira

neutro em carbono –Adj. tendo ou resultando em nenhuma perda ou ganho de carbono, especialmente de gás dióxido de carbono na atmosfera

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe