Árvore mais antiga do mundo é descoberta na América do Sul

“Esse método nos diz que 80% de todas as trajetórias de crescimento possíveis nos dão uma idade desta árvore viva superior a 5.000 anos. Há apenas 20% de chance de que a árvore seja mais jovem.”- Jonathan Barichivich, Cientista

Aqui está mais um motivo para visitar o Chile. Ciência informa que o Chile agora detém a distinção do país com a árvore mais antiga do mundo. Denominada árvore Alerce Milenario ou Gran Abuelo, estima-se que tenha cerca de 5484 anos. A árvore está situada no Parque Nacional Alerce Costero, que se tornou parque nacional em 2012. Se for confirmado pela comunidade científica, ultrapassaria Matusalémum pinheiro bristlecone no leste da Califórnia, que tem 4853 anos.

O estudo foi conduzido por Jonathan Barichivich, cientista ambiental chileno que trabalha no Laboratório de Ciências Climáticas e Ambientais de Paris. Normalmente, os cientistas usam um processo chamado dendrocronologia, que é quando uma broca em forma de T determina a idade da árvore encontrando o número de anéis de crescimento que ela possui. Devido à incapacidade de alcançar o centro da árvore com a broca, Barichvich mudou para o seguinte método:

“Barichivich recorreu à modelagem estatística para determinar a idade completa do Alerce Milenario. Ele usou testemunhos completos de outras árvores de alerta e informações sobre como fatores ambientais e variações aleatórias afetam o crescimento da árvore para calibrar um modelo que simulou uma faixa de idades possíveis que a árvore atingiu no início do período coberto pelo testemunho parcial, juntamente com um probabilidade para cada idade. O método rendeu uma estimativa geral de idade de 5.484 anos, com 80% de chance de que a árvore tenha vivido por mais de 5.000 anos.”

As descobertas estão enfrentando seu quinhão de ceticismo. Os dendrocronologistas provavelmente serão céticos em relação a isso, devido aos cientistas não realizarem uma contagem completa dos anéis de crescimento das árvores. Além disso, Ramzi Touchan, do Laboratório de Pesquisa de Anel de Árvore da Universidade do Arizona, disse que “inferir as taxas de crescimento durante a juventude de uma árvore pode ser difícil… porque a árvore jovem pode ter tido menos competição e crescido mais rápido do que nos anos posteriores.” Alguns cientistas estão dizendo que estão esperando por um estudo revisado por pares para apoiar as descobertas. Barichivich participou de várias conferências e publicou um resumo informal de suas descobertas, e espera apresentar um artigo em uma revista científica nos próximos meses.

READ  Após surto de Covid, brasileiro renova camaradagem com Thalasserry Vaidyar- The New Indian Express

Jonathan Barichivich espera que essas descobertas ajudem a fornecer proteção adicional à árvore, pois os visitantes podem caminhar diretamente até a árvore. Embora haja uma plataforma de observação no local para protegê-la, muitos ainda andam ao redor dela e tocam na árvore, o que prejudica as raízes da árvore e compacta o solo. Com Barichivich estimando que apenas 28% da árvore ainda está viva, o tempo é essencial para garantir que ela possa existir nas próximas décadas.

Créditos da imagem/vídeo: Newsweek, Ciência, Reuters

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

N1SERGIPE.COM.BR PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
N1 Sergipe