Anita Novinsky, principal estudiosa da história dos judeus no Brasil, morre aos 98 anos

RIO DE JANEIRO (JTA) – Anita Novinsky, uma importante estudiosa brasileira sobre a Inquisição Portuguesa e a história da presença judaica no Brasil, faleceu em São Paulo na terça-feira. Ela tinha 98 anos.

Autora de vários livros, ela fundou e atuou como presidente do Museu da Tolerância da Universidade de São Paulo, onde se formou em história social.

“O professor Novinsky lançou luz sobre um conhecimento adormecido e resgatou raízes significativas na história do Brasil, revelando a contribuição judaica desde a chegada das caravelas portuguesas”, ou navios do século 15, disse Claudio Lottenberg, presidente da Confederação Brasileira de Israel organização judaica guarda-chuva. “Se não fosse por ela, grande parte deste universo ainda estaria dormindo. Ela não apenas pesquisou, mas também orientou trabalhos seminais que fazem brilhar a história judaica brasileira ”.

Nascida na Polônia, Anita Waingort Novinsky imigrou para o Brasil com sua família quando tinha 1 ano de idade e mais tarde se tornou cidadã brasileira. Ela se especializou no estudo de cristãos-novos, também conhecidos como conversos ou marranos – judeus portugueses e espanhóis que se converteram ou foram forçados a se converter ao cristianismo durante a Idade Média, mas continuaram a praticar o judaísmo em segredo e fingiram ser fervorosamente católicos quando estavam fora público. Seus descendentes também são conhecidos como bnei anusim.

Novinsky detalhou “os costumes dos criptojudeus e o renascimento da consciência judaica 200 anos após o fim da Inquisição aqui”, escreveu a Federação Judaica de São Paulo em nota de homenagem.

“Ser judeu é sentir-se judeu. Se os marranos querem voltar ao judaísmo, cabe a eles decidir ”, disse Novinsky em um documentário de 2005 intitulado“ A Estrela Oculta do Sertão ”ou“ A Estrela Oculta do Sertão ”, que se baseou em grande parte em suas pesquisas. Envolve criptojudeus da região semi-árida do Sertão, norte do Brasil.

READ  Na América Latina, o presidente Biden deve jogar o jogo longo

O escritório brasileiro da B’nai B’rith fez uma longa homenagem ao trabalho do historiador.

“Anita Novinsky mudou a historiografia brasileira”, escreveu a organização. “Ela formou discípulos e deixa um amplo legado que vai além de sua produção acadêmica. Ela amava Israel e tinha orgulho de ser judia em todas as latitudes de seu pensamento. Sempre que tinha oportunidade, Anita desafiava publicamente o perigo do anti-semitismo. ”

Você é sério. Agradecemos isso!

É por isso que trabalhamos todos os dias – para fornecer a leitores exigentes como você uma cobertura de leitura obrigatória de Israel e do mundo judaico.

Então agora temos um pedido. Ao contrário de outros meios de comunicação, não colocamos um acesso pago. Mas como o jornalismo que fazemos é caro, convidamos os leitores para quem o The Times of Israel se tornou importante para ajudar a apoiar o nosso trabalho juntando-se The Times of Israel Community.

Por apenas US $ 6 por mês, você pode ajudar a apoiar nosso jornalismo de qualidade enquanto desfruta do The Times of Israel ANÚNCIO GRÁTIS, bem como acessar conteúdo exclusivo disponível apenas para membros da comunidade do Times of Israel.

Junte-se a nossa comunidade

Junte-se a nossa comunidade

já é um membro? Faça login para parar de ver isso

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe