A região leste da OMS da OMS lidera o declínio global em novos casos COVID

A Organização Mundial da Saúde disse na terça-feira que os novos casos e mortes por coronavírus registrados em todo o mundo caíram cerca de 10% na semana que terminou em 26 de setembro, com uma estimativa de 3,3 milhões de novas infecções e 55.000 mortes em todo o mundo.

Para mais histórias da The Media Line, vá para themedialine.org

As maiores quedas em novos casos ocorreram nas regiões do Mediterrâneo Oriental (17%) e do Pacífico Ocidental (15%). As maiores quedas nas mortes semanais ocorreram no Pacífico Ocidental (24%), Sudeste Asiático (20%) e Mediterrâneo Oriental (16%).

O Escritório Regional da OMS para o Mediterrâneo Oriental atende 22 países e territórios no Oriente Médio, Norte da África, Chifre da África e Ásia Central. Não inclui todas as nações do Mediterrâneo Oriental e cobre vários países distantes do Mar Mediterrâneo. A região coberta inclui Afeganistão, Bahrein, Djibouti, Egito, Irã, Iraque, Jordânia, Kuwait, Líbano, Líbia, Marrocos, Omã, Paquistão, Catar, Arábia Saudita, Somália, Sudão, Síria, Tunísia, Emirados Árabes Unidos e Iêmen.

A OMS relatou pela primeira vez uma redução substancial de novos casos em meados de setembro.

Com base nas estatísticas compiladas pelo repositório de dados COVID-19 da Johns Hopkins University, a média contínua de sete dias de novos casos em todo o mundo começou a cair de cerca de 662.000 casos (84 casos por milhão de habitantes) em 26 de agosto, e a mudança semana a semana caiu abaixo de zero em 30 de agosto, quando os casos novos no mundo caíram 0,62% em relação à semana anterior. Em 29 de setembro, a média contínua de sete dias de novos casos em todo o mundo era de cerca de 452.000 (57 casos por milhão de habitantes), representando uma queda de 12,31% em relação à semana anterior.

READ  Lowden ganha PEO Scholar Award - UMaine News

Abdelnaser Soboh, Chefe de Saúde de Emergência do sub-escritório da Organização Mundial da Saúde em Gaza, está ao lado de caixas contendo ventiladores entregues pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e doados pelo Kuwait, na Cidade de Gaza em 29 de novembro de 2020. (crédito: REUTERS / MOHAMMED SALEM)

A queda global de novos casos incluiu uma queda de quase 45% na América do Sul, 21% na África, 17% na Ásia e 11% na América do Norte, mas também um aumento de 4,7% na Europa e 9,9% na Austrália.

A OMS disse que as mortes por coronavírus diminuíram em pelo menos 10% em todas as regiões, exceto na Europa, onde caíram apenas 1%, e na África, que teve um aumento de 5% nas mortes.

Os dados da Johns Hopkins mostraram que, em 29 de setembro, as mortes informadas semanalmente caíram 7,16% em todo o mundo. Isso incluiu quedas de quase 22% na Ásia e 5% na América do Sul e África, e 2,5% na América do Norte, mas aumentos de mais de 6% na Europa e 40% na Austrália.

Apesar da tendência otimista vista atualmente em todo o mundo, com o inverno chegando ao densamente povoado Hemisfério Norte e as restrições de distanciamento social sendo relaxadas em muitos lugares, mais picos de COVID-19 podem estar a caminho, alertou a OMS.

Olhando para o Oriente Médio e Norte da África, os novos casos caíram em quase todos os lugares na semana passada, variando de uma queda de 66,9% na Arábia Saudita a uma queda de 4,6% no Iêmen. No entanto, os novos casos aumentaram acentuadamente no Sudão, que teve um aumento de 97% nos casos confirmados, bem como na Somália (79,5%), Djibouti (77,9%) e Síria (72,7%), com pequenos aumentos no Egito e na Jordânia .

As mortes semanais caíram significativamente em muitos dos países da região MENA que tiveram o maior número de mortes acumuladas ao longo da pandemia, como Irã, Turquia, Paquistão, Tunísia e Iraque. Mas as mortes semanais aumentaram 300% em Djibouti, 233,3% no Sudão, 85,9% no Egito e 80% no Líbano, com aumentos moderados na Síria, Emirados Árabes Unidos, Iêmen e Jordânia.

O Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME), um centro de pesquisa de saúde populacional independente da UW Medicine, parte da Universidade de Washington, também analisou o número de mortes por COVID-19 no Oriente Médio e no Norte da África. Ao contrário do The Media Line, o IHME não inclui na região MENA o Afeganistão, Chipre, Djibouti, Israel, Mauritânia, Paquistão, Somália ou Sudão. De acordo com o IHME, cerca de 5.524 pessoas morreram de COVID-19 em toda a região durante a semana que terminou em 29 de setembro, em comparação com cerca de 6.081 na semana anterior – uma redução de 9%.

READ  O Brasil relata mais de 28.000 novos casos Covid-19 - últimas atualizações

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe