A jornalista cubana Mary Karla Ares detida devido à cobertura do protesto

Miami, 3 de maio de 2021 – As autoridades cubanas devem libertar imediatamente a jornalista Mary Karla Ares, encerrar a investigação criminal sobre seu trabalho e permitir que a imprensa informe livremente, disse hoje o Comitê para a Proteção dos Jornalistas.

Em 30 de abril, por volta das 14h, agentes da Polícia Revolucionária Cubana e da Polícia Política prenderam Ares, repórter do jornal comunitário Nascer do sol de Havanan, em Havana e a levou a uma delegacia de polícia no município de Havana Playa, segundo notícias relatórios e Normando Hernández, gerente geral do Instituto Cubano para a Liberdade de Expressão e Imprensa (ICLEP), uma organização local pela liberdade de imprensa, que conversou com o CPJ por meio de um aplicativo de mensagens.

Ares permanece naquela delegacia até hoje, e as autoridades estão investigando-a por “desordem pública” criminosa por causa de sua cobertura de protestos recentes, de acordo com essas fontes. Ares não teve acesso a um advogado ou à sua família desde que foi presa, disse Hernández ao CPJ.

“Hoje, enquanto o mundo comemora o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, as autoridades cubanas mantêm uma jornalista detida e a investigam pelo mero ato de cobrir um protesto”, disse a pesquisadora sênior do CPJ para a América Central e do Sul, Ana Cristina Núñez. “As autoridades devem libertar imediatamente Mary Karla Ares, encerrar a investigação criminal sobre seu trabalho e garantir que ela e todos os outros jornalistas cubanos possam trabalhar livremente.”

A polícia prendeu Ares enquanto ela fazia uma reportagem ao vivo no Facebook, cobrindo a polícia de uma manifestação em apoio ao artista cubano Luis Manuel Otero Alcántara, que estava em greve de fome em protesto contra o confisco de suas obras de arte pelas autoridades e a falta de liberdade de expressão no país, de acordo com reportagens, um relatório por ICLEP, e Vídeo de Ares, que foi transmitido em sua conta pessoal no Facebook, onde ela frequentemente posta reportagens e comentários sobre questões políticas em Cuba.

READ  Reação mista ao plano de renomear Estádio do Maracanã no Brasil

Se acusado e condenado por desordem pública, Ares pode pegar até um ano de prisão, de acordo com o Código penal cubano.

O CPJ enviou um e-mail à Polícia Nacional Revolucionária de Cuba e ao Ministério do Interior para comentar, mas não recebeu nenhuma resposta.

Nascer do sol de Havanan é um dos sete jornais gratuitos publicados no país pelo ICLEP, segundo seu site. Autoridades cubanas invadiram recentemente os escritórios dos jornais do ICLEP e, segundo consta, restringiram o acesso de seus funcionários à Internet, como documentou o CPJ.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

N1 Sergipe