21 cientistas brasileiros desprezam medalhas seguidas com Bolsonaro

Emitida em: Modificado:

Brasília (AFP) – Vinte e um cientistas agraciados com uma das maiores homenagens do Brasil, a Ordem Nacional do Mérito Científico, rejeitaram suas medalhas no sábado depois que o presidente Jair Bolsonaro retirou dois colegas cujo trabalho aparentemente confundiu seu governo da lista de homenageados.

O presidente de extrema direita nomeou 25 pessoas nesta quarta-feira para receber a homenagem, que o Brasil criou em 1992 para reconhecer as mais importantes contribuições à ciência e tecnologia.

No entanto, dois dias depois, ele retirou os nomes de dois cientistas proeminentes da lista.

Um deles foi o Dr. Marcus Lacerda, que publicou um dos primeiros estudos descobrindo que a droga cloroquina é ineficaz contra a Covid-19 – refutando a estratégia favorita de Bolsonaro para combater a pandemia.

A outra foi a Dra. Adele Benzaken, que foi demitida do cargo de diretora do departamento de HIV / AIDS do Ministério da Saúde do Brasil quando Bolsonaro assumiu o cargo em 2019, depois que seu departamento publicou um panfleto voltado para homens transexuais.

Em protesto, todos os 20 outros cientistas e uma das três “personalidades nacionais” nomeadas por Bolsonaro para receber a homenagem rejeitaram suas medalhas em uma carta aberta.

“Esta é mais uma demonstração clara da perseguição aos cientistas e o último passo no ataque sistemático do atual governo à ciência e tecnologia”, disseram.

“Este ato de protesto, que nos entristece, expressa nossa indignação com a destruição do sistema universitário brasileiro e da ciência e tecnologia em geral”.

Bolsonaro tem enfrentado duras críticas da comunidade científica sobre cortes no orçamento para pesquisa e tecnologia, bem como sua frequente rejeição de descobertas científicas e história de divulgação de desinformação, particularmente sobre Covid-19.

READ  COVID-19: Pedido de financiamento para combater a variante Delta, pedido de suspensão da implementação do reforço |

O presidente há muito elogia a cloroquina como um tratamento para a Covid-19, apesar das evidências de que ela é ineficaz, e desrespeita os conselhos de especialistas em saúde sobre máscaras faciais e medidas caseiras para conter a pandemia.

Benzaken, diretora do principal instituto de saúde pública Fiocruz na região amazônica, disse que ficou “extremamente honrada” com a decisão de seus colegas de rejeitar as medalhas pelo que chamou de tratamento “deselegante” do governo para com ela e Lacerda.

“Essa foi a maior honra de todas”, disse ela à AFP, criticando a atitude do governo Bolsonaro em relação à ciência.

“Houve fortes cortes no financiamento da ciência no Brasil, um total desrespeito às afirmações baseadas em evidências científicas, pouco valor atribuído à ciência”, disse ela.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário


Copyright © N1 Sergipe.
n1sergipe.com.br is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to Amazon.com.br. Amazon, the Amazon logo, AmazonSupply, and the AmazonSupply logo are trademarks of Amazon.com, Inc. or its affiliates.
….
N1 Sergipe